Você foi feito para ser sofrólogo?

Formações profissionais nas carreiras da relação de ajuda – desenvolvimento pessoal, ajuda relacional, gerenciamento de emoções, terapia corporal, etc. – são numerosos.

Todas permitem que qualquer pessoa que queira apoiar outras na relação de ajuda adquira habilidades rapidamente.

Mas muitas vezes surge uma pergunta: qualquer pessoa pode se tornar sofrólogo?

Aqui estão algumas das características que podem fazer de você um bom sofrólogo:

Ser apaixonado por pessoas

As pessoas que decidem fazerr uma formação em uma profissão de relação de ajuda geralmente são apaixonadas pelo humano. Eles são a personificação do seu método. O que eles transmitem aos outros, eles foram capazes de aplicar-se acima de tudo.

Saiba como se comunicar

Você gosta de se comunicar, interagir com os outros? Você está uma pessoa acolhedora, pedagoga?

Ser bem ancorado

Você se sente como uma pessoa estável, calma e paciente? Você tende a reagir com pressa e sem antes pensar? Você é capaz de controlar suas emoções?

Ter empatia

Nesse ramo, ouvir é muito mais importante do que falar. Você ouvirá as pessoas que o consultarem e estabelecerá uma relação de confiança com elas. Você consegue sentir facilmente as emoções do outro? Você pode se colocar no lugar de outras pessoas? Você sabe como levar em consideração a subjetividade de seus interlocutores?

Não julgar

Você é capaz de acolher pessoas que podem ser muito diferentes de você e ter uma perspectiva neutra sobre elas? Não trazer seus próprios gostos, preferências, escolhas para esse relacionamento?

Ser organizado

Na maioria das vezes, um sofrólogo não tem chefe. Essa liberdade tem alguns lados muito positivos, mas também exige que você tenha um bom senso de organização. O que você não faz não será feito por outra pessoa. Você precisa ter um mínimo de organização para ser um terapeuta, ser seu próprio contador, gerenciar sua atividade, seus compromissos, os arquivos de acompanhamento de seus clientes …

E você ? Você já imaginou se tornar um sofrólogo? Você fez uma mudança profissional? Conte-nos sobre sua experiência nos comentários ou em nossa página no Facebook!