Um sofrólogo é um terapeuta, profissional na relação de ajuda e, como tal, deve seguir regras muito específicas. O cumprimento dessas regras é essencial para proteger o cliente, a profissão e o próprio sofrólogo.

Aqui estão os principais regras éticas as quais os sofrólogos estão sujeitos:

Respeito pela confidencialidade:

Individualmente, em grupo, em um consultório, em uma empresa, em um hospital … Qualquer que seja a idade do cliente, todos têm direito à confidencialidade, mesmo crianças e adolescentes. Ela só pode ser quebrada se o sofrólogo sentir que a integridade física ou psicológica de seu cliente pode estar ameaçada. Nesse caso excepcional, é claro que o cliente é avisado de que a confidencialidade será quebrada. O sofrólogo valoriza acima de tudo a relação de confiança que foi criada entre seu cliente e ele próprio.

Publicidade

Conhecimento e respeito pelos limites de sua profissão:

A sofrologia é uma excelente técnica que, como todas as outras, tem limites. Um sofrólogo sabe que a sofrologia não cura doenças. Seus clientes serão informados e o sofrólogo também se certificará que eles têm acompanhamento médico ou que um diagnóstico foi feito sobre seus distúrbios.

Exemplo: um cliente consulta porque tem uma dor de estômago e está convencido de que sua dor é causada por estresse. Ele não foi examinado por um médico. O sofrólogo que aceita esse acompanhamento sem dizer nada confirma indiretamente esse autodiagnóstico de seu cliente e também confirma que ele não precisa consultar um médico. No entanto, dores de estômago podem ser causadas por estresse, mas também por doenças que vão além do escopo da sofrologia.

Essa precaução evita que o cliente seja enganado (pensando que a sofrologia é suficiente) e seja privado de um tratamento adaptado ao seu caso.

Sem receita médica

Sempre dentro dos limites da profissão, o sofrólogo não aconselha medicamentos, tratamentos, não faz diagnóstico.

Exemplo: mesmo que ele tenha quase certeza de que os sintomas descritos por seu cliente correspondem aos de um hipotireoidismo (porque ele próprio o possui), ele não comentará porque sabe que apenas um médico pode perguntar um diagnóstico.

Isso protege seu cliente de erros de diagnóstico e tratamento inadequado, além de proteger o próprio sofrólogo que poderia ser acusados ​​de prática ilegal da medicina, o que prejudicaria a imagem de toda a profissão.

E você, você já teve sessões de sofrologia? Conte-nos sobre sua experiência nos comentários ou em nossa página no Facebook!