ENTREVISTA COM NIELS ARESTRUP

Em seu primeiro filme, Candid The Candid ‘, Niels Arestrup puxa as cordas de um partido político e manipula o líder, interpretado por Yvan Attal, candidato lançado apesar de si mesmo na corrida presidencial. Incisivo, inteligente e ousado.

[…]

Para desenhar seus personagens, você fez um trabalho de arquivo, um estudo de comportamento político?

Não, eu imaginei tudo. Não é muito difícil! Quando Yvan Attal gesticula para tirar os sapatos antes do debate na televisão, por exemplo, isso é peculiar. Eu sei que os políticos trabalham muito em sofrologia. Fiquei impressionado com a diferença de atitude Jacques Chirac entre as campanhas de 1981 e 1988. Ele não tinha mais a mesma posição na cadeira e, pela primeira vez, abriu a jaqueta. Cheirava a trabalho. Todos esses pequenos sinais me cativam, porque são de fato uma enorme manipulação. A partir do momento em que você começa a trabalhar em seu comportamento, a fim de parecer eficiente, compreensivo, inteligente e interessante, que uma imagem é feita, podemos falar em manipulação. Pode não ser sério, nem escandaloso, mas, no entanto, existe.

[…]

Descubra a entrevista de Niels Arestrup no Evene.fr